O Índice de Variação de Aluguéis Residenciais (Ivar) da Fundação Getulio Vargas (FGV) atingiu recorde em janeiro, com alta de 4,34%, o maior aumento mensal desde o início da série do indicador, em janeiro de 2019. Houve recuperação, já que em dezembro de 2023 a taxa havia caído 1,16%.

De acordo com André Braz, economista da FGV, a elevação é um resultado do aumento na demanda por aluguéis em relação à oferta, refletindo o mercado aquecido para locação. Braz ressaltou que, em janeiro, três das quatro capitais consideradas no cálculo do indicador registraram o fim da queda nos preços dos aluguéis.

A variação dos preços no primeiro mês do ano saiu de -1,62% para 3,66% na capital paulista. No Rio de Janeiro, de -3,30% para 1,29% e em Porto Alegre, de -0,10% para 9,86%. Belo Horizonte foi a única capital que ainda experimentou uma redução nos preços dos aluguéis (de 0,68% para -0,16%).
Fonte: Valor Econômico


Share this post:

Related posts:
A decisão do STF que pode baratear a taxa de transferência de imóveis

STJ já votou de forma favorável à medida e o caso agora está nas mãos do Supremo

Expectativa de valorização futura faz vendas de imóveis de alto padrão crescer 19% em nove meses

Indicador ABRAINC-FIPE mostra que venda de imóveis cresceu 22,2% de janeiro a setembro Por Valor Investe — Rio