Cristiane Poleto
Brasília DF - 19/09/2018

Destaques

Imprimir   Diminuir Fonte   Aumentar Fonte

Construções que fazem sucesso

27/12/10

Bookmark and Share

Imóveis comerciais já saem do lançamento com 80% das vendas garantidas. Esse tipo de produto tem grande demanda em razão da falta de espaços para construí-los no Plano Piloto, o que explica a migração para outras regiões administrativas do Distrito Federal



Tamanho da Fonte     JOSIANE BORGES

jborges@jornaldacomunidade.com.br
 Redação Jornal da Comunidade





Biosphere Health Center, da Cyrela em parceria com a Líder, é um sucesso Biosphere Health Center, da Cyrela em parceria com a Líder, é um sucesso


Os imóveis comerciais constituem, hoje, um dos melhores investimentos. Contratos mais longos e retornos lucrativos no aluguel são as principais vantagens para os investidores. Em Brasília a demanda para esse tipo de produto é crescente e os empreendimentos lançados dentro desse perfil são sucesso garantido.




“Nós, do mercado, temos percebido que, de dois anos para cá, a demanda por produto comercial é muito grande. Brasília só tem 50 anos, ainda é uma cidade nova, e o interesse das empresas de fora em vir para a capital federal é crescente. Para os investidores há a certeza de um aluguel garantido, rentável, com bons clientes, e a certeza de que sempre terá o imóvel ocupado”, diz Leonel Alves, diretor comercial da Lopes Royal Empreendimentos Imobiliários.




As empresas precisam de espaços comerciais e os que existem, por serem localizados em construções antigas, não atendem às necessidades de quem quer instalar seus negócios e carece de um ambiente que ofereça segurança e infraestrutura tecnológica. “Com isso, os poucos lançamentos que surgem são rapidamente vendidos. Então, temos uma grande demanda e, em contrapartida, pouca oferta. Para se ter uma idéia, o metro quadrado de um empreendimento comercial novo, hoje, está entre R$ 80 e R$ 120; os mais antigos, em torno de R$ 30 e R$ 40 o metro quadrado”, completa o diretor da Lopes Royal.




A imobiliária está em fase de pré-lançamento de um empreendimento comercial localizado no Setor Hospitalar Norte. O Biosphere Health Center é um produto da Cyrela Brazil Realty, em parceria com a Construtora Líder. São salas e consultórios médicos, odontológicos, terapêuticos e laboratoriais que oferecem um conjunto de diferenciais  em um único lugar.




O empreendimento é composto por duas torres erguidas em um terreno de sete mil metros quadrados. As torres são formadas por oito pavimentos cada, totalizando 204 unidades com metragens entre 30 m2 e 36 m2 e uma a duas vagas de garagem, além de salas duplex de 88 m2 a 152 m2 com duas a quatro vagas. Cada torre tem 102 unidades, sendo 95 salas e sete salas duplex. Um auditório com capacidade para 54 lugares complementa a estrutura do empreendimento.



Ambientes sofisticados

As áreas comuns e os interiores foram projetados pela arquiteta Débora Aguiar. São ambientes sofisticados e contemporâneos que utilizam materiais nobres e transmitem a essência do Biosphere Health Center. O projeto paisagístico, assinado por Benedito Abbud, inspirou-se no nome do empreendimento, que remete à biosfera, conjunto de todos os ecossistemas do planeta, e usa muita vegetação e muita água.




“O Biosphere Health Center é um lançamento exclusivo na região e um empreendimento completo. Profissionais de saúde e investidores contarão com o que há de melhor em tecnologia e modernidade”, garante o diretor da Regional Centro-Oeste da Cyrela, Andreas Yamagata.

 “Há cerca de 20 anos que não se lança nada naquele setor. Sei que o produto vai vender rapidamente, ele é um produto diferenciado e, por ser comercial, já nasceu para o sucesso”, afirma Leonel Alves.


 


 


Para Pedro, o mercado está mudando e as satélites serão privilegiadas Foto: Mary LealPara Pedro, o mercado está mudando e as satélites serão privilegiadas

Imóveis comerciais em alta

O crescimento da economia do Distrito Federal é um dos pontos ressaltados para a demanda de áreas comerciais. “As empresas vêm para a cidade, que é o centro do poder, e têm dificuldade para conseguir grandes espaços. Em consequência, aqueles (empreendimentos) que são lançados são sempre um sucesso, pois a demanda é grande, a carência por áreas comerciais cresce e os espaços faltam”, relata Pedro Fernandes.

O Complexo Advance, lançando recentemente, um centro clínico localizado na quadra 915 Sul da construtora JCGontijo.




O complexo é assinado pelo arquiteto e paisagista Benedito Abbud e contará com mais de 445 salas, estacionamento com mais de 545 vagas, além de área exclusiva para ambulâncias e elevadores com dimensões para macas. Outro diferencial do empreendimento é o amplo espaço para eventos com  auditório de convenções com capacidade para 203 pessoas sentadas, duas salas de reunião com 25 lugares cada e praça de conveniências.




O diretor acredita que os espaços para os imóveis comerciais crescerem é o mesmo dos residenciais e o que ocorre é uma fuga das empresas em direção às cidades-satélites, onde há bons terrenos. “A logística do mercado está mudando, o mercado está se ampliando e cidades como Samambaia, Águas Claras, Taguatinga e Gama estão recebendo fortemente os empreendimentos comerciais. Águas Claras, por exemplo, tem um adensamento forte e poucas áreas disponíveis para o comércio. Além disso, o metro quadrado lá já valorizou muito”, conta Fernandes.




Uma das alternativas das construtoras para essas regiões têm sido os investimentos em mall, que são empreendimentos residenciais com galerias e espaços comerciais para atender aos moradores. “Apesar dessa alternativa criada pelo setor, esses empreendimentos não atendem à demanda para esse tipo de produto, que se dá em todo o DF. Existem alguns espaços, como no Setor de Indústrias Gráficas (SIG), alguns poucos espaços no Setor Bancário e acredito que a região do Park Sul também pode abrigar áreas comerciais”, conclui Pedro Fernandes.

Valorização em alta




Os edifícios corporativos de alto-padrão, também considerados comerciais, apresentaram neste trimestre uma alta de 4,5% no valor médio de locação em comparação ao mesmo período de 2009. Os dados fazem parte do último levantamento MarketBeat, realizado pela consultoria americana Cushman & Wakefield. O valor do metro quadrado ao mês ficou cotado em R$ 79,4, contra R$ 76.

Mariana Hanania, gerente de Pesquisa de Mercado para a América do Sul, explica que a elevação nos preços é decorrente da entrega de novo estoque de maior qualidade a preços pedidos superiores à média.




A média da taxa de vacância (relação entre o volume de imóveis disponíveis e o volume total existente) registrada em Brasília subiu de 6,9% para 9,7% se compararmos o terceiro trimestre de 2009 ao de 2010.



 

Fonte:

Imóveis


Documento sem título Linked in
Especialistanet © 2011