Cristiane Poleto
Brasília DF - 21/09/2018

Destaques

Imprimir   Diminuir Fonte   Aumentar Fonte

Programas prometem trocar aluguel por prestação da casa própria

22/10/09

Bookmark and Share

Mais chance de moradia para a classe média baixa do Distrito Federal. A Secretaria de Habitação prepara uma série de programas de financiamento voltados a essa faixa da população, com renda de 4 a 12 salários mínimos mensais. A ideia do GDF é seguir os mesmos moldes do Programa Minha Casa Minha Vida, do governo federal, e criar condições mais favoráveis para a aquisição da casa própria.


Segundo o secretário de Habitação, Paulo Roriz, pelo menos quatro novos empreendimentos vão beneficiar a classe média. “Temos como exemplo o Mangueiral, que é um setor que será construído com toda a infraestrutura de um empreendimento particular, mas com vantagens de programas do governo”, adiantou. Ele se refere aos Jardins Mangueiral, novo setor que o GDF está construindo em parceria público-privada habitacional inédita no país para beneficiar 30 mil pessoas.


Importado do México, o projeto arquitetônico do novo setor prevê a construção de casas e apartamentos de dois e três quartos, com preços bem abaixo dos praticados no mercado imobiliário. “Esse é o resultado de uma PPP. O GDF oferece a gleba e investe nos equipamentos comunitários e infraestrutura do local e, em contrapartida, a empresa constrói os imóveis e os vende a preços que chegam a 25% menores que os do mercado”, estima. A construção do novo bairro já está a todo vapor. Ele será localizado próximo ao Jardim Botânico, ao lado do balão que dá acesso a São Sebastião e a previsão é que as primeiras unidades sejam entregues em abril de 2010.


Outro programa que está em fase adiantada de implantação é o Porto Pilar. Localizado em Santa Maria, o projeto segue a idéia do Mangueiral, apenas com uma diferença: “O Porto Pilar é um empreendimento totalmente particular, mas que também terá preços vantajosos para o comprador, que será beneficiado com o financiamento do Minha Casa Minha Vida. Essa foi a garantia da construtora para nós”, explica Paulo Roriz.


Localizado na BR que passa pela entrada da cidade, o novo empreendimento teve do governo local a garantia de investimentos em equipamentos comunitários, como escolas, postos de saúde e segurança, além de toda infraestrutura necessária. Os candidatos a compradores dos imóveis precisam estar inscritos na lista da Companhia de Desenvolvimento Habitacional (Codhab), preencher os critérios exigidos por lei para participarem do Programa Habitacional e comprovar renda para conseguir o financiamento pela Caixa.


Previsões


A Secretaria de Habitação também trabalha em outro projeto que promete beneficiar a classe média. O Habitar Bem é uma proposta criada pelo GDF com o objetivo de oferecer imóveis de até três quartos em áreas já urbanizadas, como Sobradinho e Gama. A idéia é construir prédios que sigam as exigências do Plano Diretor Local (PDL) de cada cidade e, com isso, colocar no mercado imóveis com preços reduzidos. Para isso, o governo local trabalha para oferecer incentivos à construtora, como o custo zero da terra e a urbanização completa.


“Como os terrenos também são do governo, as construtoras terão um custo menor no valor total do empreendimento e isso vai resultar lá na ponta, quando o comprador fechar o negócio”, observa Paulo Roriz.


Paulo Roriz explica que para os programas a Caixa oferece até 20 anos para o financiamento do imóvel. “O melhor é que não há entrada, intermediárias e o comprador só começa a pagar quando recebe as chaves da unidade. É praticamente uma troca do aluguel pela prestação da casa própria”, completa.


Simulação feita na Caixa Econômica Federal revela que as parcelas para um imóvel no Mangueiral, por exemplo, vai custar de R$ 500 a R$ 1 mil. De acordo com o consórcio Jardins Mangueiral, responsável pelo empreendimento, até agora mais de 5 mil famílias já foram convocadas pelo GDF para se candidatarem a um imóvel no novo setor. Dessas, pouco mais de 60% se manifestam interessadas em adquirir o imóvel.


Após ser convocado pela Codhab, o candidato a adquirir um imóvel terá de ter o nome aprovado junto às instituições financeiras para conseguir ser beneficiado. Vale lembrar que os candidatos precisam estar inscritos na lista da Codhab, possuir renda de 4 a 12 salários mínimos, morar há pelos menos 5 anos no DF e não ter imóvel em seu nome. Os interessados podem se increver na lista por meio do site da Codhab (www.codhab.df.gov.br) ou pelo 156 - opção 6.


Agência Brasília, com informaçies da Secretaria de Habitação

Fonte: http://www.clicabrasilia.com.br/portal/noticia_new.php?IdNoticia=121887

Imóveis


Documento sem título Linked in
Especialistanet © 2011