Cristiane Poleto
Brasília DF - 14/08/2018

Destaques

Imprimir   Diminuir Fonte   Aumentar Fonte

Noroeste: O Setor Ecológico deixou de ser apenas um canteiro de obras.

12/03/12

Bookmark and Share

E o bairro ecológico brotou...




Considerado a região mais valiosa do Distrito Federal, o Setor Noroeste deixou de ser apenas um simples canteiro de obras. Primeiros empreendimentos serão entregues neste ano, junto com as obras de infraestrutura básica, como esgoto, asfaltamento e outras


Redação Jornal da Comunidade


O Setor Noroeste levanta a bandeira da sustentabilidade e se transforma em sucesso absoluto como bairro ecológico                                                                        Obras do Viverde Residências do Noroeste, a grande aposta da Villela e Carvalho na mais nova região do Distrito Federal


O Setor Noroeste levanta a bandeira da sustentabilidade                                                                     Obras do Viverde (Vilela e Carvalho)


e se transforma em sucesso absoluto como bairro ecológico


A Associação das Empresas do Mercado Imobiliário do Distrito Federal (Ademi-DF) teve a confirmação de que as obras de infraestrutura do Noroeste serão entregues até agosto, mês previsto para a conclusão do primeiro empreendimento no bairro, que não para de crescer. Bem mais desenvolvida que em 1995, quando os projetos foram pensados, a região hoje é uma realidade e já possui toda a infraestrutura necessária. Pensado para ser altamente sustentável, todos os empreendimentos do bairro obedecem às normas contidas no manual verde, o que possibilita ao local um desenvolvimento racional e organizado.


O presidente da Silco Engenharia, Leonardo Guerra, cita o Noroeste quando o assunto é a valorização imobiliária no DF

Leonardo Guerra, engenheiro da Silco Engenharia, confirma que o bairro já possui asfalto, rede de águas pluviais e energia e que em 2012 serão entregues os primeiros empreendimentos. “É uma das regiões mais valiosas de Brasília, a última área central do DF, e suas vantagens são todas as de estar perto do centro”, afirma. Mas o preço deste “conforto” é salgado. “Quanto ao valor do m², estamos trabalhando um pouco acima dos R$ 10.000”.


Ele conta que a Silco tem um empreendimento, o Ile de la Cité (de quatro suítes), e está prestes a lançar o segundo. A empresa está com apartamentos decorados na região para apresentar o projeto ao público. “A ideia do decorado foi pensada originariamente para que fosse construído nos terrenos criados pela Terracap para destinação de estandes de venda na via que passa em frente ao Atacadão e à 2ª DP, mas, como a aprovação das construções destes estandes esbarrou em entraves legais, e como tínhamos projeções no Noroeste, decidimos construir o estande e a unidade decorada lá mesmo, pois com isso o cliente, além de conhecer a unidade, conhece toda a infraestrutura que está pronta e tira a imagem de que será um outro barroeste, como era chamado o Sudoeste no seu início”, compara.


Bairro foi previsto por lúcio costa


Atualmente a região é o maior canteiro de obras do Distrito Federal, pois Águas Claras já foi muito construída. “Com a entrega dos primeiros empreendimentos, esta história vai mudar” aposta Leonardo Guerra. Ele explica que os impactos serão os mesmos inerentes a um adensamento populacional qualquer em determinada região, mas o Plano Piloto, em comparação com regiões centrais das principais capitais brasileiras, ainda está longe disso. “Além do mais, o Noroeste já havia sido previsto por Lúcio Costa no Projeto Brasília Revisada, onde 100% dos terrenos são da Terracap e a maioria das construtoras tem proposto sistemas de recolhimento de água da chuva, economia e uma vida mais sustentável”.


E para quem se anima à empreitada no bairro verde, Leonardo conta que ainda há oferta, mas que não deve demorar para acabar. “Não há expectativa de que a oferta de imóveis se esgote em um curto prazo, mas, se pensarmos no aumento populacional e no fato de que as pessoas sempre buscam morar com uma qualidade de vida maior e mais perto do trabalho, certamente a oferta de imóveis de todo o Setor Noroeste não será suficiente para esta demanda”, imagina.



Últimas chances para investir na região


Leonel Alves, da Lopes Royal, reforça a importância de investir no bairro verde


 Foto: Rose Brasil

Leonel Alves, da Lopes Royal, reforça a importância de investir no bairro verde


Leonel Alves, diretor da Lopes Royal, comenta a grande oportunidade que é a região. “Hoje, 70% dos empreendimentos (três mil unidades) colocados à venda já foram comercializados. O estoque é de apenas 30%. Mostra que o bairro é um sucesso. Já foram comercializados mais de 100 terrenos na primeira etapa. São mais de 100 etapas. Quando as pessoas dizem que sou otimista, concordo e completo afirmando que o realismo em relação ao Noroeste é o que me faz pensar de maneira cada vez mais positiva. Afinal, não há razões para preocupação” entusiasma-se.


Ainda faltam detalhes como iluminação e esgoto. A promessa é de que em até seis meses a infraestrutura esteja pronta. “O bairro hoje tem uma cara de residência, de cidade. Antes, os terrenos estavam vazios, agora os prédios estão concluídos, faltam acabamentos, detalhes. As pessoas passam a acreditar mais no setor”, conta.


O diretor volta a comparar o novo bairro ao Sudoeste. “A gente não tinha nem como mostrar o empreendimento. Muitas pessoas receberam os imóveis, naquela época, sem infraestrutura, coisa que não vai acontecer no Setor Noroeste. Nos últimos dez anos o Sudoeste valorizou mais de 500%. Imagina como será a nova região? A urbanização no Noroeste acontece junto com as obras”, compara. Além disso, o bairro verde ainda está com preços atraentes, mas, a quando os prédios forem entregues, a valorização acelerará.


“O ano de 2012 volta a pulsar, as pessoas estão querendo investir, é o ano da oportunidade no bairro. O Noroeste é a ultima oportunidade para que as pessoas possam adquirir empreendimento no Plano Piloto. As empresas têm facilitado, com condições, prêmios e descontos. Há imóveis que já vêm com ar-condicionado, armários e outros equipamentos. Expectativa de que este ano o mercado assimile o estoque que já tem, pois a demanda ainda é grande”, destaca Leonel. A Lopes Royal tem hoje 11 empreendimentos à venda. Dois deles serão entregues neste ano. A empresa espera lançar mais 12 obras no ano que se iniciou há pouco.


O que o bairro verde tem


Perspectiva da Terracap mostra como o bairro ficará em um futuro próximo


Perspectiva da Terracap mostra como o bairro ficará em um futuro próximo


André Stein, coordenador de marketing da Construtora Villela e Carvalho, afirma que investir no Noroeste é uma excelente aposta. “Tanto para as construtoras como para imobiliárias e clientes, acreditar na nova região é o negócio do momento. O bairro terá tudo o que os ambientes modernos pedem, com destaque para a perspectiva sustentável”, ressalta.


O portal na internet do Instituto Brasília Ambiental (Ibram) explana que o novo bairro da capital possui 825 hectares, 20 quadras residenciais, com 220 prédios, contendo cobertura; seis pavimentos de apartamentos; pilotis e garagem em até dois subsolos. Haverá também 198 prédios comerciais, que serão construídos dentro de cinco anos entre as quadras comerciais para atender os moradores. Depois de tudo pronto, a população estimada do Noroeste será de 40 mil habitantes.


Além disso, o título de “sustentável” se deu porque o local terá drenagem sustentável, coleta pneumática de resíduos sólidos (o recolhimento do lixo será feito por meio de um sistema a vácuo, que dispensa o uso de contêineres nas ruas, na frente dos prédios e restaurantes). O lixo será tratado e canalizado, impedindo o contato humano e evitando agressão ao meio ambiente.


Fonte: Jornal da Comunidade, 09 e 10/03/2012


 


 


 

Fonte: http://comunidade.maiscomunidade.com/conteudo/2012-03-10/imoveis/3910/E-O-BAIRRO-ECOLOGICO-BROTOU

Imóveis


Documento sem título Linked in
Especialistanet © 2011