Cristiane Poleto
Brasília DF - 18/01/2018

Destaques

Imprimir   Diminuir Fonte   Aumentar Fonte

Uma Horta para Chamar de Sua - Ótimas idéias!

02/08/11

Bookmark and Share

A obra está acabando e sobrou terra? Que tal plantar no quintal de hortaliças e temperos frescos? Quem mora em apartamento também tem opções práticas e econômicas para cultivar uma fonte natural de vitaminas e minerais


Fonte: Jornal da Comunidade





Uma horta montada no quintal da residência proporciona hortaliças aos moradores e ajuda a valorizar ainda mais o imóvelFoto: Mary LealUma horta montada no quintal da residência proporciona hortaliças aos moradores e ajuda a valorizar ainda mais o imóvel

Um quintal bonito, moderno, com projeto paisagístico elaborado. Que tal acrescentar uma horta nesse cenário? Além de ser uma terapia para os que se aventuram a preparar o solo, escolher as mudas, plantar e manter os cuidados, a presença de uma horta em casa aumenta o valor do imóvel.

“As pessoas buscam esse diferencial da horta porque dá essa sensação de acolhimento”, avalia Adriano Cancian, diretor comercial da Lopes Royal. Ele acredita que, em um cenário de crescente verticalização, a horta é um diferencial que agrega valor. “Mesmo em apartamento é possível reservar um espaço, em varanda ou jardim de inverno, para cultivar plantas”, sugere.

Quando a obra termina e a casa está em fase de acabamento e mobília, ainda resta uma parte: o jardim, que precisa ser reestruturado a fim de que a terra, que foi assentada para a construção, fique nas condições ideais para o cultivo de plantas, hortaliças e flores. Além de ser afofado, o terreno precisa estar “descansado”, ou seja, sem plantio há algum tempo. Outra preocupação é relativa ao pH, o medidor de acidez baseado na neutralidade da água, que tem pH 7.


“A base de um bom plantio é um bom preparo da terra”, observa Adejar Gualberto Marinho, técnico agrícola da Embrapa Hortaliças. “A terra do cerrado tem um pH muito baixo, entre 4 e 5. Para plantar, é preciso um pH 6”, explica Adejar. Ele ensina: “Para cada metro quadrado é preciso 100 gramas de calcário a fim de corrigir o pH.” Para uma boa horta, as medidas também são importantes de observar: “um metro de largura e 20 centímetros de altura são o ideal”. Ele assegura, porém, que existe a possibilidade de um cultivo em ambientes reduzidos, como jardineiras, ou mesmo em canos de PVC cortados e garrafas pet, que além de serem fáceis de armazenar são reciclados.




Depois de feita a correção do solo, é hora de fertilizar. Aqui existem duas opções: fertilizantes sintéticos ou orgânicos. “A adubação química pode ser feita com NPK 4-14-8, um composto de nitrogênio, fósforo e potássio que supre as necessidades das plantas”, orienta Adejar.


A outra opção é um composto mineral em pó termo-fosfatado. Ambos estão disponíveis em lojas especializadas em agricultura. Independentemente deles é preciso adubar a terra. “O esterco curtido de aves é mais rico que o de gado, por isso usa-se a metade da medida se for de aves”, conta Adejar Gualberto.


Cuidados que se deve ter


Com a terra preparada, é hora de escolher o que plantar. Entre hortaliças (alface, abobrinha, tomate, couve) e aromáticas (coentro, manjericão, cebolinha), é preciso escolher tendo em mente o que será consumido com mais frequência, levando-se em consideração a melhor época para plantar. Tudo que começa bem termina bem e isso serve para mudas. Isso porque nem todas as hortaliças devem ser plantadas diretamente na terra. Algumas precisam passar por uma semeadeira, ou qualquer ambiente menor. O motivo para isso é tornar mais fácil a regagem das plantas jovens, que precisam de água de duas a três vezes por dia. Na semeadeira, mudas não disputam nutrie ntes com ervas daninhas.


A nutricionista Priscilla Baracat reforça: “Com o tempo, os alimentos perdem nutrientes, um processo natural. Para se ter uma ideia, após 15 dias as cenouras e as ervilhas perderam cerca de 10% de seus nutrientes, enquanto brócolis e couve-flor perdem 25%. Já a vagem chega a perder até 45% de seu valor nutritivo”, comenta. Eis então o grande benefício de alimentos que são colhidos e consumidos ainda frescos. Sobre o que plantar, a nutricionista recomenda: “Tomate e as folhas na cor verde-escuro, como espinafre, brócolis e couve. Eles têm um alto valor nutricional, além de serem de fácil absorção.”


Cultivo feito em apartamento


Quem mora em um apartamento também pode manter uma pequena horta em casa, tomando algumas medidas e, dependendo do caso, fazendo algumas adaptações.


 “Minha mãe teve resistência quando eu quis fazer a horta, mas coloquei a semeadeira em uma travessa de plástico para evitar a sujeira”, conta Rodney Felix Barreto, estudante de agronomia da Universidade de Brasília (UnB). Ele começou o cultivo motivado por um trabalho acadêmico, mas acabou se apaixonando pelo que fez.


Rodney Felix começou a cultivar no apartamento motivado por trabalho acadêmicoFoto: André ZimmererRodney Felix começou a cultivar no apartamento motivado por trabalho acadêmico



Rodney tomou gosto pela atividade: “Toda semana tiro fotos, coloco no Facebook, às vezes depois que cresce, no caso das pimentas, transporto para um vaso e dou de presente”, diz. Para manter a horta mais higiênica no ambiente reduzido, Rodney opta por utilizar substrato à base de fibras de coco e casca de arroz. “É um substrato fungicida e mais difícil de apresentar qualquer tipo de ameaça à planta e à saúde das pessoas”, ensina o estudante.

 


Fonte: http://comunidade.maiscomunidade.com/conteudo/2011-07-30/imoveis/6525

Imóveis


Documento sem título Linked in
Especialistanet © 2011