Cristiane Poleto
Brasília DF - 22/07/2018

Destaques

Imprimir   Diminuir Fonte   Aumentar Fonte

O sonho da casa própria ao alcance de todos os bolsos

27/06/11

Bookmark and Share

Quem quer financiar um imóvel tem várias opções de planos, taxas de juros, tempo de pagamento e sistemas de amortização disponíveis. Basta procurar as instituições financeiras e ver o que elas têm para oferecer



      RAFAEL CADENGUE

rcadengue@jornaldacomunidade.com.br

SARA BUENO

ssouza@jornaldacomunidade.co
m.br




O financiamento é como se fosse um empréstimo: uma instituição financeira oferece recursos para a parte financiada, de modo que esta possa realizar um investimento específico. No entanto, ao contrário do empréstimo, os recursos necessitam ser aplicados do modo acordado em contrato. A financiadora, então, cobra juros sobre o valor, de acordo com a quantia e o tempo de pagamento.




Os bancos possuem diversas modalidades de financiamento, tanto para pessoa física quanto para jurídica, que se adequam às características e situações específicas dos requerentes. No caso de linhas de crédito imobiliário para a casa própria, as opções variam de acordo com o perfil de cada comprador: renda, percentual a ser financiado e valor do imóvel.



Patrícia Esser e o noivo Thiago Segatto financiaram um imóvel às margens do Lago Paranoá depois de receberem um panfletoFoto: Mary LealPatrícia Esser e o noivo Thiago Segatto financiaram um imóvel às margens do Lago Paranoá depois de receberem um panfleto




O advogado Thiago Segatto, 24 anos, financiou um imóvel com a noiva, Patrícia Esser, às margens do Lago Paranoá. “Poucos meses depois de ficarmos noivos, em janeiro de 2010, decidimos comprar nosso apartamento. Patrícia recebeu um panfleto sobre o residencial The Sun, que por ser perto do Lago Sul, onde trabalho, e perto dos ministérios, onde minha noiva trabalha, parecia ser o imóvel ideal”, conta o advogado.




Ele revela que o casal procurou apartamentos em Águas Claras e no Noroeste, antes de optar pelo escolhido. Thiago reforça que ele e Patrícia almejam qualidade de vida e é isso que o residencial oferece. “Parece até um clube, com piscina, sauna e quadra poliesportiva. O prédio funcionará como hotel, o que, com certeza, vai ser muito bom para nós”, ressalta.




O advogado firmou contrato com a CrediPronto!, empresa especializada em financiamento imobiliário que funciona dentro da construtora Lopes Royal, da qual Thiago e Patrícia compraram o imóvel. O casal selecionou um apartamento no preço de R$ 315 mil, com o valor de entrada de R$ 47 mil. As prestações mensais ficaram em torno de mil reais, a serem pagas por dez anos.




Por se tratar de um lançamento, Thiago afirma que o processo de financiamento foi fácil. “Demos uma entrada equivalente a 1/6 do imóvel, com prestações mensais razoáveis, de acordo com nossos salários. O legal é que desde que decidimos nos casar, temos em mente dividir tudo um com o outro. Assim, cada um paga metade da parcela”, conta, empolgado com a realização do sonho.




Adriano Cancian, diretor comercial da Lopes Royal, conta que a CrediPronto! é fruto de uma parceria entre a imobiliária e o Banco Itaú. Para ele, a conveniência e a confiabilidade do nome da Lopes e da instituição financeira atraem aqueles que precisam de recursos para adquirir um imóvel. “O diferencial é a agilidade do processo. A consultoria financeira analisa a concessão de crédito em até uma hora, por meio do sistema do Banco Itaú, e auxilia na obtenção de documentos e certidões. A avaliação do imóvel fica pronta, em média, em três dias e, a depender da documentação entregue, no máximo em 15 dias o cliente tem o imóvel selecionado e o financiamento garantido”, explica.




A empresa oferece planos para pessoas física e jurídica, com taxas médias de juros de 8% e 11% ao ano, a prazos de 360 e 150 meses, respectivamente. Para Cancian, é importante ressaltar que, atualmente, houve expansão do mercado e o crédito imobiliário tornou-se acessível para a população. “Antigamente era como uma loteria”, diz.


 


Financiamento bem facilitado



O Banco do Brasil amplia sua participação no mercado ao oferecer aos interessados planos de financiamento variadosFoto: Gilda DinizO Banco do Brasil amplia sua participação no mercado ao oferecer aos interessados planos de financiamento variados


Com valor financiável mínimo de R$ 10 mil e máximo de R$ 5 milhões para pessoa física, o Banco do Brasil oferece planos de financiamento que atendem a uma demanda variada. Para pessoa jurídica, o valor mínimo é R$ 4 milhões e o máximo é R$ 100 milhões.




Para aqueles com renda bruta familiar mensal entre três e dez salários mínimos, o BB oferece linhas subsidiadas pelo Programa Minha Casa, Minha Vida, que utiliza recursos do FGTS, e pelo Funding Poupança. As  famílias com renda superior a dez salários mínimos são atendidas tanto nas linhas com recursos da poupança (Sistema Financeiro de Habitação – SFH e Carteira Hipotecária – CH), quanto com operações contratadas com recursos próprios (Sistema Financeiro Imobiliário – SFI).




José Henrique Silva, gerente executivo do BB, acrescenta que o banco lançará novas linhas de crédito imobiliário. “Alinhado com as diretrizes do governo federal, o BB atuará na segunda fase do Programa Minha Casa, Minha Vida, quando deverá oferecer crédito imobiliário às famílias com faixa de renda entre zero e três salários mínimos”, diz.




Ele informa que o prazo de financiamento para pessoas físicas e o percentual do valor do imóvel que pode ser financiado dependem do perfil de cada cliente. “No BB, o prazo máximo é de trinta anos e o percentual de financiamento pode chegar até a 90% do valor do imóvel. Para o financiamento para pessoas jurídicas, o banco financia até 100% do custo da obra, no prazo máximo de 60 meses”.




Ele relata que ao contratar o financiamento imobiliário no banco, o cliente pode optar por prestações fixas (PRICE) ou prestações decrescentes (SAC). As taxas de juros irão depender de qual sistema será adotado, de qual fonte de recursos será utilizada e da faixa de renda do contratante, mas, variam entre 5% e 16%. “Para o Plano Empresário, as taxas de juros praticadas pelo BB são negociadas caso a caso e dependem do perfil e risco da construtura, bem como do porte do empreendimento”, afirma José Henrique.




Além disso, o BB oferece para os clientes um período de carência de seis meses para começar a amortizar o capital e um mês do ano para pular o pagamento da parcela. Nestes períodos serão cobradas taxas como juros e seguros.




A Super Casa é um dos planos do crédito imobiliário do banco Santander. Com ela é possível financiar até 80% do valor do imóvel. A renda mínima para se financiar um imóvel é de mil reais, com um prazo de até 30 anos. Uma das vantagens do Santander é a possibilidade de demonstrar renda, sem nenhum tipo de relação. Um amigo pode financiar um imóvel com outro, como jovens casais de namorados que projetam morar junto. 


 


De olho nos valores

O economista Alexandre Zioli trabalha no Ministério da Previdência Social e é professor de economia, matemática financeira e finanças e orçamento no UniCEUB. Ele defende que quem não tem recursos para comprar um imóvel e pretende financiar com uma instituição financeira deve ter cuidado com certos fatores. “Atenção para qual valor que será financiado. Quanto menor, melhor, porque paga menos juros. Não se deve comprometer mais do que 30% da renda. Juntar uma boa reserva inicial é a melhor maneira de garantir taxas de juros e prazos menores”, aconselha.




O professor recomenda que se investigue o valor das taxas de encargos de cada financiadora e os sistemas de amortização. “No PRICE, o valor da parcela é constante, o pagamento inicial é menor, mas paga mais juros. No Sistema de Amortização Constante (SAC), paga-se mais inicialmente, no entanto, a amortização é contínua e as taxas de juros, menores. É o melhor sistema”, opina. Outro fator a que se deve estar atento é à atualização monetária, pois o financiado é quem lida com o ônus da diferença orçamentária. “É importante informar-se a respeito do índice utilizado para atualização monetária”, reforça Alexandre.


 


Alexandre recomenda que cliente investigue o valor das taxas de encargosFoto: Sandro AraújoAlexandre recomenda que cliente investigue o valor das taxas de encargos

Elício Lima, superintendente regional, afirma que a Caixa Econômica Federal trabalha com todas as modalidades de crédito habitacional. Para pessoa física e jurídica, oferece planos subsidiados pelo Minha Casa, Minha Vida, pelo Fundo de Garantia do Tempo de Serviço, pelos recursos do Sistema de Poupança e Empréstimo (SBPE) e por meio do Programa Especial de Crédito Habitacional ou Cotista do FGTS. “Qualquer pessoa que deseje financiar um imóvel pode ir a uma agência bancária da CEF e ter o crédito aprovado. Existe financiamento para várias faixas de renda e é possível, inclusive, juntar a renda familiar”, incentiva.



Caso queira saber de antemão quanto pode financiar e em quantas prestações terá de pagar, tanto pessoas como empresas podem utilizar o simulador de financiamento disponível no site da Caixa. “Temos um alto índice de visitação. Aproximadamente 11 milhões de acessos no mês de março”, revela o superintendente.




As taxas de juros do banco variam entre 5% e 13,5% ao ano, ao prazo de 360 meses para pessoa física, mas sem prazos finais para empresas devido ao término de obras e a transferência de dívida. Elício ressalta que a Caixa trabalha com o SAC “A amortização começa desde o primeiro momento”, acrescenta.


Fonte: http://comunidade.maiscomunidade.com/conteudo/2011-06-25/imoveis/5965/O-SONHO-DA-CASA-PROPRIA-AO-ALCANCE-DE-TODOS-OS-BOLSOS.pnhtml

Imóveis


Documento sem título Linked in
Especialistanet © 2011