Cristiane Poleto
Brasília DF - 21/11/2018

Destaques

Imprimir   Diminuir Fonte   Aumentar Fonte

Imobiliárias, construtoras e incorporadoras invadem os grandes templos de consumo de Brasília com estandes e unidades decoradas na expectativa de ampliar os negócios

02/04/11

Bookmark and Share

Lugar de vender é no shopping



       JULIANA AFFE

jaffe@jornaldacomunidade.com.br
 Redação Jornal da Comunidade




A Lopes Royal montou quatro estandes no Boulevard Shopping, cujo potencial de vendas é considerado muito grandeA Lopes Royal montou quatro estandes no Boulevard Shopping, cujo potencial de vendas é considerado muito grande


Foi-se o tempo em que os estandes de vendas ficavam localizados apenas no local da obra. Hoje eles são facilmente encontrados fora dos canteiros. Preocupadas em atingir as metas e dar mais conforto a quem vai comprar um imóvel, construtoras e imobiliárias vão até o público. Diante da acirrada concorrência, elas buscam alternativas inovadoras, como instalar estandes e quiosques nos shoppings centers da cidade.




Leonel Alves, diretor comercial da Imobiliária Lopes Royal, recorda que as empresas não investiam em estandes comerciais. “Lembro que antes era apenas uma casinha no local da obra. As incorporadoras colocavam uma mesa, às vezes um banheiro. Mas ainda bem que o mercado está mudando. As coisas estão melhorando muito. A cada dia que passa queremos inovar mais e fazer diferente. Primeiro investimos em unidades decoradas dentro dos estandes. Agora levamos os estandes até os clientes”.


 


A aposta da Lopes Royal, com os estandes no Boulevard Shopping, é altaA aposta da Lopes Royal, com os estandes no Boulevard Shopping, é alta

A Imobiliária Lopes Royal tem quatro estandes no Boulevard Shopping, sendo que três contam com unidades decoradas e serão inaugurados em breve. “Não tenho dúvida de que o investimento vale a pena. O percentual de vendas no shopping é grande. O cliente vai só para comprar um sapato, aproveita a oportunidade e compra um apartamento. Essas coisas acontecem assim: quando menos esperamos, fazemos alguma coisa diferente”, aposta Leonel.




Normalmente as empresas fazem contratos temporários com o shopping. Tudo é estudado com as imobiliárias. “A Lopes Royal faz um planejamento de vendas para a construtora. Até para que ela possa fazer o seu planejamento estratégico: saber quanto vai pagar e durante quanto tempo ficará dando manutenção. Os valores cobrados pelos shoppings não são baratos e fica difícil manter estandes permanentes”, considera o diretor comercial.


 


Retorno satisfatório

A EBM Incorporações investiu em um estande no Boulevard Shopping com unidade decorada. “Ainda está em construção, mas a expectativa é muito boa. Hoje os estandes de vendas contam com, por exemplo, brinquedoteca e espaço para eventos. Estão cada vez mais sofisticados. E na medida do possível tentamos levar isso para o shopping, no qual o espaço é menor. Mas é preciso ter, no mínimo, um local para o corretor colocar mesas, maquete, imagem, copa. O cliente da EBM deve ter um nível de conforto elevado”, pondera Fábio Teles, gerente regional da EBM.


 


A MRV tem estandes temporários em shoppings no DF e em ValparaísoA MRV tem estandes temporários em shoppings no DF e em Valparaíso

O shopping é um lugar de consumo por natureza, por isso os estandes de vendas no local são uma tendência, prevê Fábio Teles. “Muitas vezes a solução é investir nos centros comerciais, pois às vezes não há lugar próximo para o investimento, dependendo do bairro onde será o lançamento. O lado positivo é que o shopping já tem fluxo grande dos nossos clientes. Mas nem toda época é ideal para abrir um estande. As pessoas precisam estar na cidade. Têm meses que evitamos instalar alguns, como, por exemplo, final de ano, quando a maioria das pessoas viaja.

A MRV Engenharia investe em estandes nos shopping desde quando veio para Brasília, em 2006. “Temos estandes temporários no Pátio Brasil Shopping, no Conjunto Nacional, no Alameda Shopping e no Shopping Sul, em Valparaíso. Apostamos nos shoppings porque têm grandes atrativos. Além do grande fluxo de pessoas, contam com segurança, comodidade e tranquilidade. E os clientes já vão propícios para compras. O retorno tem sido bastante satisfatório”, revela Alexandre Cândido, gestor executivo de vendas da MRV Engenharia.

Fonte: http://comunidade.maiscomunidade.com/conteudo/2011-04-02/imoveis/4371/LUGAR-DE-VENDER-E-NO-SHOPPING.pnhtml

Imóveis


Documento sem título Linked in
Especialistanet © 2011